DESTAQUES

Altemar Dutra Jr. fala sobre sua carreira

Altemar Dutra Jr. em um bate-papo intimista no PODKAH com a  apresentadora Karla Ferdinanda

O "Podkah", Podcast da apresentadora Karla Ferdinanda foi gravado nesta semana no  UZ Production & Studio, contando com a presença de um convidado muito especial, o cantor Altemar Dutra Jr.

Altemar Dutra Jr. canta o amor e a vida  com uma voz singular no cenário musical brasileiro. O multifacetado cantor interpreta vários ritmos como o samba, bolero, MPB, rock, bole, xotes, serenatas e, ainda, cantatas de natal.

Na entrevista, comentou sobre sua carreira e sua agenda de shows e até mesmo alguns detalhes de sua vida pessoal, como o ciúmes de sua amada esposa juntos há mais de três décadas. A carreira de Altemar Dutra Júnior começou ainda jovem, naturalmente devido ao meio que vivia, tendo seus pais se dedicado sempre à música.

E, obviamente, sobre o talento e a carreira de seu pai, o inesquecível cantor Altemar Dutra que o levou à carreira músical desde muito jovem. Acompanhou o pai em seus shows o que resultou, além da admiração pelo pai e artista, na paixão pela música. Contando também com o talento de sua mãe, Marta Mendonça, que apareceu no cenário musical nos 60 com a canção Tu Sabes, que vendeu muito e ganhou os principais prêmios da época.

Altemar Dutra Jr. em um bate-papo intimista no PODKAH

Altemar Dutra Jr. em um bate-papo intimista no PODKAH
Apresentadora do PODKAH Karla Ferdinanda e o cantor ALTEMAR DUTRA JR.

Mesmo sendo atleta e ter se tornado campeão brasileiro e sul-americano de Kickboxing, Altermar não resistiu ao chamado de sua voz interna para a carreira musical, assim, no ano de 1997 foi o lançamento do seu primeiro álbum “Transparente” o que lhe presenteou com o reconhecimento da crítica e público com o prêmio “Revelação” no 10º Prêmio Sharp de Música. Depois em 1999 foi a vez do “Agora eu Sei” o segundo trabalho de Altemar Dutra Jr.

Suas aparições extrapolam nosso território, pois se apresentou no famoso Conrad Cassino, em Punta Del Leste (Uruguai) e ainda em Angola, tendo também vivido em Miami e desfrutado da cultura musical de Cuba.

Altemar Dutra Jr. em um bate-papo intimista no PODKAH

Também, lançou  “Contradições” (Velas), “Canção do nosso amor” (Som Livre), Santo Manto - CD e DVD (ASJ) e Sentimental Nós Somos (Radar Records). O último trabalho de estúdio do cantor é mais que um tributo ao pai, falecido em 1983, é um registro histórico e uma celebração do que há de melhor na seresta e bolero. Músicas como “Brigas”, “Sentimental Demais”, “Tudo de Mim” e “Contigo Aprendi”, fazem parte do repertório, em uma releitura especial.

Altemar Dutra Jr., se apresenta semanalmente no Bar do Nelson (SP), além de fazer shows por todo o país.

Rede social do cantor (@altemardutrajr)
. Facebook - Instagram - YouTube

Contato para shows
Email - contato@jcshowseeventos.com.br
Site -  https://www.altemardutrajr.com.br/
Fone: (55 - 11) 3644-7411

https://youtu.be/4iLlTc_VZzI?si=qQDFStnsL5S-fm6H

Por Uiara Zagolin

Jaguarari e Campo Formoso sediam II Eco Festival do Café de Serra dos Morgados

Jaguarari e Campo Formoso sediam II Eco Festival do Café de Serra dos Morgados

Acontecerá, entre os dias 12 e 15 de julho de 2024, nos municípios de Jaguarari e Campo Formoso, na Bahia, o II Ecofestival de Café da Serra dos Morgados. Com o tema “Uma xícara de café gera amizades”, convida amantes da bebida mais querida entre brasileiros, para conhecer a beleza e o potencial produtivo desses espaços no norte baiano e impulsionar o turismo ecocultural de base sustentável e comunitária. Além disso, o evento privilegiará uma época muita apreciada nessas serras do Sertão da Bahia: o inverno.

Em parceria com comunidades locais e tendo como inspiração a cadeia produtiva do café orgânico da Serra, serão lançados cafés especiais produzidos nesta região. "Entre os destaques do evento, está o café artesanal produzido pela comunidade há quase um século e o lançamento dos cafés especiais da Serra, que têm se destacado por apresentar um terroir específico dessa região serrana", explica Juracy Marques, organizador do evento.

Durante o II Ecofestival do Café, serão realizadas feira agroecológica, artística e da economia solidária; mesas temáticas abordando ecossustentabilidade e as perspectivas para o futuro do café das serras; mercado e comercialização do café; assim como oficinas diversas, envolvendo cafés filtrados, cafés especiais, montagem de cafeteria, marcas coletivas e indicadores biogeográficos, empreendedorismo feminino, cafés literários, shows musicais e lançamentos de livros e documentário.

Ainda segundo Marques, a grande marca do Ecofestival é a defesa da natureza. "O propósito da reativação da cadeia produtiva do café, nessa região, nasceu de uma forte luta ecológica para a preservação dos ecossistemas serranos do Sertão, sobretudo suas nascentes, rios e cachoeiras, protagonizada pelo Movimento Salve as Serras. Por essa razão, o Ecofestival do Café tem atraído um público engajado no cuidado com a natureza que cobra: dentro de uma xícara de café também devem estar os espíritos das árvores, dos pássaros, das águas", finaliza.

OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE O EVENTO

Vista seu amor pelo café e compre a camisa/t-shirts do II Ecofestival do Café da Serra dos Morgados e colabore com a organização do evento.

Vendas no evento e no Restaurante Flor de Mandacaru. R. das Ameixas, 155 - COHAB São Francisco, Petrolina – PE. +55 87 99930 3141.

Instagram:  @restauranteflordemandacaru

@melojucilene

R$ 80,00 (unidade)

ONDE FICA

O município de Jaguarari tem uma área territorial de 2.466,009 km² e uma população, segundo o censo de 2022, de 32.703 habitantes. Sua sede municipal está a uma altitude de 661 m. A região das suas serras, onde acontecerá o evento, tem altitude de mil metros, o que torna favorável a produção de café.

COMO CHEGAR

Translado aéreo até Petrolina / Petrolina a Jaguarari 1h35 min (105,1 km) via BR-407.

ONDE SE HOSPEDAR

Além de pousadas na cidade (Quinta de Casa), os interessados poderão fazer hospedagens nas casas dos moradores locais. Para tanto, podem entrar em contato com Maria Rosa, uma das organizadoras do evento, pelo telefone: +55 74 98846-8412)

Ex-BBB Amanda Gontijo faz correção de estética das orelhas pelas mãos do noivo, o cirurgião plástico Danilo Monteiro

A ex-BBB Amanda Gontijo, realizou um sonho antigo e se submeteu a um procedimento de correção de estética das orelhas. O procedimento aconteceu em sua clínica, o Instituto Ress, no qual ela é sócia e o médico responsável pela operação foi simplesmente o noivo da influencer, o cirurgião plástico Danilo Monteiro.

A criadora de conteúdo digital admitiu que tinha inseguranças com essa característica. “Sempre tive problemas em prender o cabelo e deixar as orelhas à mostra. Na maioria das vezes, eu colava as pontas das orelhas com cola. Sempre sofri com isso, que me incomodava muito”, lamentou.

O procedimento é simples, no entanto, devido aos muitos compromissos profissionais, Amanda não conseguia tempo para realizar a mudança. “Não consegui parar a agenda de fotos, eventos e trabalhos aqui. A indicação é ficar com a faixa nas orelhas por um mês. Então, sempre jogava para frente”, explicou

Amanda e Danilo estão juntos há cinco anos, mas esta foi a primeira cirurgia que a influencer realizou pelas mãos do amado. Gontijo aproveitou o tempo que conseguiu reservar para visitar a clínica de estética e renovou o preenchimento que tem no bumbum.

“Foi a nossa primeira cirurgia em cinco anos de relacionamento. Antes disso, fizemos muitos procedimentos, como preenchimentos, de ácido hialurônico e bioestimuladores, sempre com excelentes resultados. Não tenho dúvidas que a otoplastia vai ficar incrível também. Acredito muito na competência dele como cirurgião plástico”, declarou.

Amanda falou mais sobre o fato do detalhe na aparência mexer com sua autoestima: “No tempo de miss, em que fazia muitas fotos de beleza, com cabelo preso, sempre colavam minhas orelhas”.

“Ao longo dos anos, mesmo eu não tendo uma orelha ‘de abano’, isso me incomodava muito e incomoda até hoje, tanto que dificilmente uso o cabelo preso. Se está preso, tem pelo menos uma mecha de cabelo sobre as orelhas”, contou.

Entretanto, a característica não era algo notado por outras pessoas. “Quando reclamo das minhas orelhas para outras pessoas ou até mesmo para o Danilo, dizem: ‘Você é louca! Não tem nada disso!’. Mas como modelo, sempre fui cobrada pela perfeição , que sei que não existe, mas o que eu puder fazer para chegar o mais próximo disso, vou fazer”, garantiu.

Por isso, Amanda Gontijo pretende passar por outros procedimentos: “Minha vontade inicial era fazer as orelhas com outra cirurgia, para aproveitar que já estaria operando. Mas mudei de ideia”.

“Estou me programando para fazer uma boa lipo HD, remodelamento costal e de mamas. Temos planos de engravidar, e após a gestação, vou precisar fazer esses procedimentos”, concluiu.

1. Por que demorou para fazer essa cirurgia nas orelhas, que é tão simples?

A cirurgia é rápida, porém devido a correria da vida, não consegui parar a agenda de fotos, eventos e trabalhos aqui na Ress, então sempre jogava pra frente. Pois a indicação é ficar com a faixa nas orelhas por um mês!

2. Você já sofreu bullying por causa disso? Isso afetava sua autoestima?

De certo modo sim, pois no tempo de miss, onde fazia muitas fotos de beleza, com cabelo preso, sempre colavam minhas orelhas com superbonder, e ao longo dos anos , mesmo eu não tendo uma orelha de abano, comecei a me incomodar, afinal não enxergamos defeito até falarem que você tem um (risos) tanto que dificilmente uso o cabelo preso, se está preso tem pelo menos uma mecha de cabelo sobre as orelhas!

Quando reclamo das minhas orelhas para outras pessoas, ou até mesmo para Danilo, dizer: você é louca, não tem nada disso, sua orelha não é nem grande, muito menos de abano. Mas como modelo, sempre fui muito cobrada pela perfeição, perfeição essa que não existe. Mas o que eu puder fazer para chegar o mais próximo disso, vou fazer.

Minha vontade inicial era fazer as orelhas, junto com outra cirurgia, para aproveitar que já estaria operando e fazer tudo junto!
Estou me programando pra fazer uma boa Lipo HD, remodelamento costal e diminuir as mamas, após ter filho. Temos planos de engravidar, e após a gestação, vou precisar fazer.

3. Como é fazer a cirurgia pelas mãos do noivo?

É sempre bom, não apenas pelo fato de ser meu marido e sócio, mas também por acreditar muito na competência dele como cirurgião plástico. Vai ser a nossa primeira cirurgia, em 5 anos de relacionamentos, Já fizemos muitos procedimentos, como preenchedores de ácido hialurônico e Bioestimuladores. Sempre com excelentes resultados, e não tenho dúvidas que a otoplastia vai ficar incrível também.

4. Quanto você economiza nisso tudo ao ter um noivo que vai fazer todos esses procedimentos?

Com toda certeza, bastante! (Risos) Hoje em dia no mercado da beleza, os procedimentos podem chegar a valores surreais dependendo de tecnologias ou técnicas usadas. Então acabo economizando bastante. E ficando cada vez mais linda com o portfólio perfeito.

5. Ele te incentiva mais a fazer cirurgias ou pelo contrário?

Danilo tem indicações muito precisas, afinal ele preza sempre pela naturalidade sem exageros. Então ele me diz mais para não fazer do que incentivar! Mas como mulher e vaidosa que sou, sempre fico instigando ele, afinal nós mulheres nunca estamos cem por cento satisfeitas.

Crédito das Fotos: Divulgação

Amor Corporativo e Sororidade

Amor Corporativo e Sororidade com Edna Goldoni - As Mulheres precisam parar de competir e se ajudar!

Ultimamente fala-se muito em sororidade que muitas pessoas ainda não entendem seu real significado. Acredita-se que as mulheres, devido a nossa cultura, além de serem incapazes de serem verdadeiras amigas de outras mulheres, também competem entre si. Infelizmente, esta crença profundamente enraizada na nossa sociedade e nas empresas tem um impacto devastador nas carreiras das mulheres, levando a uma falta de colaboração e solidariedade que as impedem de apoiarem mutuamente nas empresas.

Assim, para ajudar na desconstrução dessa crença,  a Fundadora do Amor Corporativo, CHRO e palestrante Samanta Camargo aborda esse assunto com Edna Goldoni, objetivando um maior conhecimento e consequente mudança de comportamento.

De antemão vale esclarecer o significado da palavra SORORIDADE que vem do latim soror (irmã) e  tem sido mais usada por seus contornos feministas e significa a união entre as mulheres. É utilizada para dar a ideia de irmandade entre as mulheres, independente de suas peculiaridades, apresentando entre elas o compromisso de empatia e companheirismo

"Desamar a competitividade é um ato consciente de Amor. As Mulheres precisam ter um olhar de mais união de forças e amor verdadeiro para que possamos melhorar os ambientes de trabalho, sociais e pessoais, sendo estes nada separados mas sim para integrar verdadeiramente. Edna Goldoni traz com maestria essas verdades em sua jornada como mulher executiva e líder responsável por muitas frentes que mudam a vida de muitas mulheres. Ela traz nesse episódio como em sua jornada tiveram mulheres significativas e amadas por ela em reciprocidade para abrir muitos caminhos, aprendizados e força para continuar", comenta Samanta iniciando este diálogo com Edna Goldoni. 

Amor Corporativo e Sororidade com Edna Goldoni

Após apresentações, Edna enfatiza o conselho de sua mãe, que sempre a indagava sobre "o que você está fazendo de bem para outra mulher?", muito antes desse avanço atual denominado "sororidade".

Assista, a seguir, o videocast AMORCAST onde Samanta Camargo, criadora e Fundadora do Método Amor Corporativo para Humanizar sua empresa, instiga  questionamentos e reflexões sobre o AMOR como competência evolutiva na vida de cada indivíduo, potencializando seu trabalho e suas relações, que culminarão numa melhor qualidade de vida.

https://youtu.be/hGFeupRRB_g?si=jBC383THo7BdMk8r

Sobre Edna Goldoni

Fundadora do IVG  e com formação em Biomedicina, pós graduação em Saúde Pública, Administração de Empresas e Marketing de Serviços. Casada e mãe de dois filhos.  Atualmente ela é Presidente do Instituto Vasselo Goldoni, CEO da Vasselo Goldoni Desenvolvimento Humano, Embaixadora do grupo WCFO, Integrante do ALL LADIES League. Em sua trajetória profissional recebeu inúmeros prêmios tanto no Brasil quanto no exterior.

Foi idealizadora do Encontro com Mulheres de Sucesso, evento que realizou por mais de 10 anos consecutivos, com o envolvimento de diversos executivos e recebeu o apoio do Bradesco. E, ainda, da Mentoria para Mulheres “Nós por Elas “, programa que já mentorou mais de 4 mil mulheres no Brasil e no Mundo. – Semeando Pérolas – ação social que já entregou mais de 50 mil colares no Brasil e no Mundo. E suas palestras  alcançaram um público com mais de 25 mil mulheres, que obtém dos conteúdos pautados em uma experiência de protagonismo feminino e transformação pessoal.

Redes Sociais de Samanta Camargo – Amor Corporativo 

Linkedin Samanta Camargo
Podcast – Samanta Camargo/ Amor Corporativo
Instagram Samanta Camargo

Redes Sociais de  Edna Godoni 

Linkedin Edna Godoni
Instagram de Edna Godoni

Fonte: Assessoria de Imprensa 
Fotos: Divulgação / Amor Corporativo
Edição: Redação Na Mídia
Então, n

Claudia Métne marcou presença na Festa Junina 2024 do Esporte Clube Pinheiros

A Festa Junina do Clube Pinheiros de 2024 foi um evento , com diversas atrações musicais ao longo de três dias de celebração. Um dos destaques do sábado foi o show de Fernando e Sorocaba, que animou o público com seus grandes sucessos sertanejos. Além disso, a influenciadora Claudia Métne  marcou presença no evento, clicando uma foto com a dupla sertaneja.

Jaqueline Santos compra mimos de grife por 50 mil reais

Jaqueline Santos compra mimos de grife por 50 mil reais

Jaqueline Santos usou as redes sociais para fazer posts de ASM! A influenciadora que acumula mais de 10 milhões de seguidores nas redes sociais fez em suas redes vídeos cômicos abrindo seus mimos que ela mesmo comprou e se diverte no vídeo!

O vídeo repercutiu porque as trata da marca francesa luxuosa “Chanel “. Jaqueline fez um vídeo saindo da loja e ainda abrindo as compras e ostentou falando que dessa vez gastou apenas 50 mil reais e que da próxima seria 100mil.

Jaqueline Santos além de fazer muito sucesso no programa do SBT “A Praça é Nossa“, faz sucesso na internet com seus vídeos engraçados fazendo cantadas na rua e loucuras como ela mesmo retrata.

Um seguidor perguntou “vai parar de fazer comédia e fazer só fashion agora Jaque”. Jaque brincou com a situação e disse “eu sou palhaça formada e já aí vou deixar de fazer, mas o luxo vai entrar nessa nova fase da minha vida junto com o humor que já existe, sou artista e empresária e nesse momento quero mostrar minha realidade que tem a ver com luxo.

Jaqueline Santos vem falando em seus storys sobre sua nova rotina e sobre os bastidores da sua vida 

“Quando eu tinha uma vida mediana eu mostrava para vocês, agora que tô rica preciso mostrar tudo também. Em seus vídeos ela mostra seu apartamento luxuoso, lugares, viagens e restaurantes sofisticados 

Jaqueline enfatiza também que ficou conhecida por ser louca e engraçada, mas que, porém, faz muito parte da construção de sua “persona”. “Na verdade, eu estudei em escola de princesas e misses e fazer uma personagem tão complexa como essa é ter ganhado tanta fama, eu não esperava no início, mas quando vi que estava dando certo fui estratégica e resolvi focar “.

Juliana Agustineli destaca a importância da sua participação em campanha sobre diversidade através da agência FocoLuz Management 

  Recentemente, a palestrante e idealizadora do Movimento de Perfumoterapia, Juliana Agustineli, participou através da agência FocoLuz Management de uma campanha para a marca “Boca Rosa”.

 Juliana Agustineli, palestrante e empresária, ressaltou: “Quando se fala em “Boca Rosa”, a gente tem uma potência chamada, Bianca Andrade, que fez a sua marca ser viral, e a relançou de forma independente.

 Para ela, o relançamento da marca prova que a Bianca quer ser dona da sua história: “Ela quer provar que nós mulheres, podemos sim, ser CEOs, comandar empresas e não ser desmerecidas nem diminuídas por isso”.

Ainda segundo ela: “A minha própria experiência ao empreender no segmento de Perfumoterapia fala por si só, já que podemos tomar posse de lugares onde jamais poderíamos antes”.

Para Agustineli foi um sonho ter participado da campanha para a Boca Rosa. “Nunca pensei que a essa altura da vida, com 40 anos, eu iria me tornar modelo, principalmente por ser uma mulher de cabelos grisalhos assumida. Há alguns anos, a sociedade nos enxerga como mulheres desleixadas, e prejudica a nossa autoestima”, declarou.

Ela acrescentou ainda que se trata de um verdadeiro sonho: “Imaginar uma mulher 40+, grisalha, acima do peso e que nunca tinha feito uma campanha, ter esse espaço e fazer parte desse movimento grandioso de relançamento de uma marca com esta envergadura”.

 Quando perguntada sobre qual a correlação entre o seu trabalho com a perfumoterapia e a marca Boca Rosa, Juliana, disse: “Tem tudo a ver. A Bianca construiu a sua marca baseada na cor do batom rosa que ela sempre usava, por isso a marca Boca Rosa. A Perfumoterapia além de trabalhar com a música e os aromas, tem nas cores a construção de histórias e memórias. Quando trazemos memórias e as ressignificamos, nosso emocional ganha novos capítulos e com isso, resgatamos nossa autoestima, nossa identidade. A Boca Rosa sempre vai estar associada a marca da Bianca, e os batons cor de rosa, mesmo não sendo da marca, vão despertar essa memória”. 

“Eu gostaria muito de participar de outros projetos como este, mas acredito que foi só esse”.

 No tocante a diversidade e a tudo que é abraçado pela campanha, Juliana diz ter achado um máximo: “Estar inserida em algo dessa magnitude constrói uma relação de empatia e conexão, e essa empatia não é só sobre a dor do outro, mas suprir suas necessidades. Somos milhões de brasileiras com histórias, memórias, personalidades e tons de peles diferentes. A Bianca traduziu e entendeu essa causa e está oferecendo muito além da maquiagem: Ela nos convida a sermos protagonistas das nossas histórias e assim como ela, trazer poder, conquista e acima de tudo, saber que temos espaço e que vamos ocupar esses espaços que um dia disseram que não podíamos”.

“Nada teria sido possível se não fosse a Agência FocoLuz Managementque faz o meu agenciamento”, finalizou Juliana Agustineli.

Sobre:

Juliana Agustineli é Palestrante, Empreendedora, idealizadora do Movimento da Perfumoterapia, criadora da Oficina da Essência, perfumista autodidata e pesquisadora sobre os impactos do sentido do olfato no bem-estar das pessoas.

Redes sociais:

@julianaagustineli

@oficinadaessencia

Foto: divulgação

Vernissage da Exposição “Universo das Cores”, da renomada Artista Plástica Teresa Kodama, foi um verdadeiro sucesso

O evento aconteceu no último sábado, dia 22 de junho, na Roberto Camasmie Art Gallery, na Rua Bela Cintra, nº 1992, Jardins, que na figura do querido anfitrião Roberto Camasmie, sentiu-se orgulhoso em receber as pinturas da renomada Artista Plástica. 

A presença da família de Teresa Kodama - do marido Pedro Kodama, das filhas Alessandra e Amanda Kodama - de autoridades, dentre elas o Doutor Alexandre Lazzarini, Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo e família, a Doutora Ana Maria Brugin, Presidente do IPAM – Instituto Paulista de Magistrados, a Doutora Eloisa de Sousa Arruda, Procuradora de Justiça aposentada, ex-Secretária de Justiça da Secretaria de Justiça e da Cidadania do Estado de São Paulo, além da presença de Regina Duarte, Cintia Abravanel e de outras celebridades, Artistas, amigos, empresários e apoiadores, enriqueceu ainda mais o evento. 

A Mostra encantou os visitantes com obras que refletem a diversidade e a riqueza das expressões artísticas de Teresa, que se projetam em uma profusão de cores vibrantes, formas orgânicas e pinceladas energéticas, criando uma experiência visual intensa e emocional. 

A Artista explora a intersecção entre a subjetividade e a universalidade, convidando os espectadores a se perderem nos nuances e nas camadas de significado. É uma celebração da liberdade criativa e da paixão pela arte, uma verdadeira jornada visual que exalta a beleza e a complexidade das cores. 

A família de Teresa, tanto quanto ela própria, se sente agradecida e honrada em participar da exposição na Art Gallery, de tão brilhante artista como Roberto Camasmie, e vibra desejando excelentes frutos dessa grande parceria.  

A Exposição conta com o apoio da Roberto Camasmie Art Gallery, Editora Magis, Assessoria de Imprensa Maria Emília Genovesi, Comissão Nacional de Arte e Cultura da ABA – Associação Brasileira de Advogados, Maria Rita Eventos, Acorde Chocolates, Beneditos, Usoarte, Ceramic Art Zita Delgado, Maison Arthur Caliman, José Domingos Guimarães Neto, Gabrielly Ono, Schoko Delicatessen e de Lucca Genovesi. 

Uma parte da arrecadação da venda das obras será destinada a APADEME – Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Mentais. 

No dia 29 de junho, sábado, haverá uma Visita Guiada, um gostoso Bate-Papo com a própria Artista onde ela falará um pouco de sua vida e de suas obras, que ocorrerá das 12 às 14h, na Roberto Camasmie Art Gallery. A Exposição continua em cartaz até o dia 6 de julho, com horário de visitação das 10 às 17 horas. 

Fotos

José Domingos Guimarães Neto

“Greice”, “Tijolo por Tijolo”e “Praia Formosa” são os grandes vencedores do 13º Olhar de Cinema. Confira todos os premiados

Produções levaram o prêmio de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Direção de Arte, respectivamente

Na noite desta quarta-feira (19), ocorreu a cerimônia de premiação do 13º Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba, ocupando a Capela Santa Maria, um dos espaços culturais mais apreciados da capital paranaense. 

Por mais um ano, o evento bateu recorde de público com sessões esgotadas, sendo marcado por estreias mundiais e nacionais, com a exibição de produções de todo o mundo e promovendo a democratização do acesso à sétima arte. 

A atriz Amandyra e o ator Dipas, do filme 'Greice', de Leonardo Mouramateus, levou o Prêmio Olhar de Melhor Longa-Metragem, assim como os prêmios de Melhor Roteiro e Melhor Atuação (Amandyra) - Cred Walter Thoms

Na Mostra Competitiva Brasileira, o filme "Greice", do diretor Leonardo Mouramateus, levou o Prêmio Olhar de Melhor Longa-Metragem. A produção trata com notável leveza de temas complexos ao redor das identidades e, em especial, das relações sociais e de gênero. "Greice" também ganhou os prêmios de Melhor Roteiro (Leonardo Mouramateus) e Melhor Atuação (Amandyra). 

O Prêmio de Melhor Direção foi para 'Tijolo por Tijolo', de Victoria Alvares e Quentin Delaroche, assim como o de Melhor Montagem e Melhor Longa-Metragem (Prêmio Abraccine) - Cred Walter Thoms

]O Prêmio de Melhor Direção foi para "Tijolo por Tijolo", de Victoria Alvares e Quentin Delaroche. O longa aborda temas relevantes ao Brasil de hoje, como maternidade, empreendedorismo, direitos reprodutivos e moradia, ressaltando o protagonismo coletivo que torna possível erguer as paredes de um lar dia após dia. A produção também levou o Prêmio de Melhor Montagem (Quentin Delaroche). 

'Praia Formos', de Julia De Simone (foto), foi premiado com Melhor Direção de Arte (Ana Paula Cardoso) e Melhor Direção de Fotografia (Flávio Rebouças (foto)) - Cred Walter Thoms

Ainda entre os longas brasileiros, "Praia Formosa", de Julia De Simone, foi premiado com Melhor Direção de Arte (Ana Paula Cardoso) e Melhor Direção de Fotografia (Flávio Rebouças). O filme vagueia por encontros entre personagens e paisagens que reforçam, tanto a permanência cruel das raízes coloniais brasileiras, quanto a resiliência e os laços formados pela população afro-brasileira, com atenção especial às mulheres. 

'A Mensageira' , de Cláudio Marques (foto) foi o ganhador do prêmio Melhor Som (Lucas Carvalho, Ana Penna, Vinícius Barreto e David Terra) - Cred Walter Thoms

O ganhador do prêmio Melhor Som foi "A Mensageira" (Lucas Carvalho, Ana Penna, Vinícius Barreto e David Terra). O longa de Cláudio Marques acompanha a protagonista em uma jornada pelas engrenagens do sistema da justiça, assim como por suas origens. 

Já os curtas ganhadores da Mostra Competitiva Brasileira foram "Caravana da Coragem", de Pedro B. Garcia, com o Prêmio Olhar de Melhor Curta-Metragem, em que o filme percorre a cidade do Distrito Federal, rabiscando as imagens enquanto o áudio ecoa, misturando-se ao ensaio de vida e à movimentação; e "Povo do Coração da Terra", do Coletivo Guahu'i Guyra, com o Prêmio Especial do Júri. A produção combina cenas de enfrentamento com a própria luta pelo direito ao cotidiano, à reza, ao plantio e à meditação, montando suas imagens como um ritual de reverência aos seus.

Jurados convidados para avaliar os longas e curtas da Competitiva Brasileira, e curtas internacionais - Maria Campaña Ramia, Bruno Ribeiro, Edvinas Puksta, Johnny Massaro e Paola Buontempo - Cred Walter Thoms

Os jurados convidados para avaliar os longas e curtas-metragens da Competitiva Brasileira, assim como o curta internacional, foram o roteirista Bruno Ribeiro, um dos responsáveis pela série "Os Outros", da Globoplay; o ator, diretor e produtor carioca Johnny Massaro; o programador de festivais e pesquisador Edvinas Puksta, que é membro da Academia de Cinema Europeu; a mestre em cinema Maria Campaña Ramia, que atua como programadora no Festival Internacional de Documentários de Amsterdã; e Paola Buontempo, programadora do Festival de Cinema de Mar del Plata e graduada em Artes Visuais pela Universidade Nacional de La Plata, História da Arte (FDA - UNLP).

Na Mostra Competitiva Internacional, o Prêmio Olhar de Melhor Longa-Metragem foi para "Pepe", de Nelson Carlos De Los Santos Arias - Cred Walter Thoms

Na Mostra Competitiva Internacional, o Prêmio Olhar de Melhor Longa-Metragem foi para "Pepe", de Nelson Carlos De Los Santos Arias, em que o diretor apresenta, com senso de humor e inventividade apurados, um filme que se reinventa a todo instante entre dispositivos, abordagens, relatos e memórias de África às Américas. "As Noites Ainda Cheiram a Pólvora", de Inadelso Cossa, levou o Prêmio Especial do Júri. No filme, o cineasta confronta as memórias desbotadas de sua família e de seu país, investigando as fotografias e revirando o passado em busca de ouvir os fantasmas de outros tempos.

Ainda dentro da Competitiva Internacional, o Prêmio Olhar de Melhor Curta-Metragem foi para "Minha Pátria", animação de Tabarak Abbas, inspirado na história dos pais do diretor para criar um universo distópico durante a guerra de Bagdá. Os jurados dos longas da Competitiva Internacional convidados foram o pesquisador, artista e mestre em roteiro de cinema Fábio Andrade; a historiadora, crítica de cinema e programadora de mostras e festivais, Lorenna Rocha; e a diretora, roteirista e bacharel em cinema e vídeo Nathália Tereza. A equipe do júri desta categoria também elegeu o Prêmio Olhar de Melhor Longa-Metragem da Mostra Novos Olhares, que contemplou "Idade da Pedra", de Renan Rovida, que navega entre a dureza da vida e a beleza dos afetos em uma experiência radical pela metrópole de concreto, lixo e gente. 

Prêmio Olhar de Melhor Longa-Metragem da Mostra Novos Olhares foi"Idade da Pedra", de Renan Rovida (centro). Na foto, Rovida está com o ator Carlos Escher e a produtora Maria Tereza Urias - Cred Walter Thoms

Na Mostra Mirada Paranaense, que promove produções de cineastas do Paraná, o Prêmio AVEC-PR Ari Cândido Fernandes (Associação de Vídeo e Cinema do Paraná) de Melhor Filme foi para "Quarto Vazio", da cineasta Julia Vidal, uma produção que gira em torno de um forte trauma enfrentado pela protagonista, que mesmo amparada por pessoas a sua volta, não consegue enfrentar o que a paralisa. 

Menção Honrosa para o curta paranaense "BAOBAB", de Bea Gerolin, que conta a história dos ancestrais da matriarca Cícera, que ensina sobre as raízes para sua neta em um trabalho escolar sobre a árvore genealógica de sua família. As produções contempladas foram escolhidas pelo júri formado por Débora Butruce, curadora, produtora cultural e preservadora audiovisual; Fernando Seliprandy, autor e historiador; e Flavio Rocha, pesquisador de cinema, historiador e documentarista.  

Prêmio Abraccine de Melhor Curta-Metragem foi para "Cavaram uma Cova no Meu Coração", de Ulisses Arthur - Cred Walter Thoms

Já o Prêmio Abraccine, concedido pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema, de Melhor Longa-Metragem foi para "Tijolo por Tijolo", de Victoria Alvares e Quentin Delaroche, e o de Melhor Curta-Metragem para "Cavaram uma Cova no Meu Coração", de Ulisses Arthur. Os jurados da associação convidados para este ano foram o autor e jornalista Marden Machado; a professora, pesquisadora e crítica de cinema, Maria Caú; e o jornalista e apresentador Cristiano Castilho.

O público também teve participação fundamental no 13º Olhar de Cinema, votando para Melhor Longa-Metragem no filme "Caminhos Cruzados", de Levan Akin, um drama poderoso sobre encontros e desencontros; e o Melhor Curta-Metragem para "Viventes", de Fabrício Basílio, sobre um jovem desempregado que tem uma entrevista de emprego para fazer.

Cerimônia de premiação da 13ª edição foi apresentada pelo diretor do festival,
Antônio Gonçalves Junior - Cred Ezequiel Prestes

Confira todos os ganhadores da 13ª edição do Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba: 

Mostra Competitiva Brasileira | Longas

Prêmio Olhar de Melhor longa-metragem

"Greice", direção de Leonardo Mouramateus

Prêmio de Melhor Direção

"Tijolo por tijolo", Victoria Alvares, Quentin Delaroche

Prêmio de Melhor Roteiro

"Greice", Leonardo Mouramateus

Prêmio de Melhor Atuação

"Greice", Amandyra

Prêmio de Melhor Direção de Arte

"Praia Formosa", Ana Paula Cardoso

Prêmio de Melhor Direção de Fotografia

"Praia Formosa", Flávio Rebouças

Prêmio de Melhor Som

"A mensageira", Lucas Carvalho, Ana Penna, Vinicius Barreto, David Terra

Prêmio de Melhor Montagem

"Tijolo por tijolo", Quentin Delaroche

Competitiva Brasileira | Curtas

Prêmio Olhar de Melhor Curta-metragem

"Caravana da Coragem", direção de Pedro B. Garcia

Prêmio Especial do Júri

"Povo do Coração da Terra", direção de Coletivo Guahu'i Guyra

Competitiva Internacional

Prêmio Olhar de Melhor longa-metragem

"Pepe", direção de Nelson de los Santos Arias

Prêmio Especial do Júri

"As Noites Ainda Cheiram a Pólvora", direção de Inadelso Cossa

Prêmio Olhar de Melhor curta-metragem

"Minha Pátria", direção de Tabarak Abbas

Novos Olhares

Prêmio Olhar de Melhor longa-metragem

"Idade da Pedra", direção de Renan Rovida

Prêmio do Público

Melhor longa-metragem

"Caminhos Cruzados", direção de Levan Akin

Melhor curta-metragem

"Viventes", direção de Fabrício Basílio

Prêmio da Crítica Abraccine

Melhor longa-metragem

"Tijolo por Tijolo", direção de Victoria Alvares e Quentin Delaroche

Melhor curta-metragem

"Cavaram uma Cova no Meu Coração", direção de Ulisses Arthur

Prêmio AVEC-PR Ari Candido Fernandes

Melhor filme

"Quarto Vazio", direção de Julia Vidal

Menção Honrosa

"Baobab", direção de Bea Gerolin

Acompanhe a programação e as novidades pelo site www.olhardecinema.com.br e pelas redes sociais oficiais: Instagram @olhardecinema e Facebook.com.br/Olhardecinema

A 13ª edição do Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba é realizada por meio do programa de apoio e incentivo à cultura - Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba, sendo também o projeto aprovado pela Secretaria de Estado da Cultura - Governo do Paraná, com recursos da Lei Paulo Gustavo, e pelo Ministério da Cultura - Governo Federal, com patrocínio do Itaú e Peróxidos Brasil, apoio do Instituto de Oncologia do Paraná, Sanepar, Cimento Itambé, Favretto Mídia Exterior, e apoio cultural de Projeto Paradiso, Cine Passeio, Instituto Curitiba de Arte e Cultura. Verifique a classificação indicativa de cada filme e sessões com acessibilidade de audiodescrição.

Serviço:

13º Olhar de CInema - Festival Internacional de Curitiba

Data: 12 a 20 de junho de 2024

Locais: Cine Passeio (R. Riachuelo, 410 - Centro)

      Cinemark Mueller (Av. Cândido de Abreu, 127, Centro)

      Teatro da Vila (R. Davi Xavier da Silva, 451, Cidade Industrial de Curitiba)

      Ópera de Arame (R. João Gava, 920, bairro Abranches)

Site oficial: www.olhardecinema.com.br.

Redes Sociais: Instagram: www.instagram.com/Olhardecinema

             Facebook: www.facebook.com.br/Olhardecinema

Patrocínio:  Itaú e Peróxidos Brasil

Apoio:  Instituto de Oncologia do Paraná, Sanepar, Cimento Itambé e Favretto Mídia Exterior

Produção: Grafo Audiovisual

Apoio Cultural: Projeto Paradiso, Cine Passeio, Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Taiwan Film & Audiovisual Institute, Cinemark

Realização: Programa de apoio e incentivo à cultura - Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba. Projeto aprovado pela Secretaria de Estado da Cultura - Governo do Paraná, com recursos da Lei Paulo Gustavo, Ministério da Cultura - Governo Federal. Lei de incentivo à cultura, Ministério da Cultura, Governo Federal.

Foto Destaque -

Premiados da 13ª edição do Olhar de Cinema - Festival Internacional de Curitiba -

Cred Ezequiel Prestes