ENTREVISTAS

JOÃO BOSCO NO BIRDLAND NY

JOÃO BOSCO QUARTET World Tour 2024

Nesta semana, a meca do jazz nos Estados Unidos, Birdland,  recebeu o lendário mestre da bossa nova e do pop pós-bossa nova da música popular brasileira - JOÃO BOSCO. 

João Bosco foi acompanhado por Ricardo Silveira na guitarra, Guto Wirtti no baixo e Kiko Freitas na bateria. E a produtora Pat Philips sempre trazendo o que há de melhor na música popular brasileira para o palco do Birdland.

Assim, João Bosco, 77 anos, cantor, compositor e exímio guitarrista, surgiu pela primeira vez na década de 1970 e rapidamente conquistou os corações do público, tanto de músicos quanto de cantores. Como acompanhante, Bosco toca com ritmos sedutores e cria aberturas de acordes incrivelmente belos. Como cantor, sua voz é melancólica e terrena, com tom confessional. E como compositor, sua sensibilidade conquistou fãs de todas as idades.

JOÃO BOSCO QUARTET World Tour 2024

O cantor concedeu uma entrevista exclusiva  durante sua turnê em Nova Iorque.

Qual sua expectativa em se apresentar mais uma vez nesta lendária casa de espetáculos, considerada a meca do jazz: a BIRDLAND JAZZ CLUB?

É sempre um prazer imenso voltar ao Birdland. Já tocamos aqui várias vezes, e por muitos anos,  e o responsável pela casa - Johnny Valente -  é uma pessoa excepcional e nos damos muito bem e ele nutre uma simpatia imensa pela música que fazemos. Tocamos aqui por muitos anos e sempre através da produtora  Pat Philips. E neste ano, além de tudo,  ele pendurou, em uma das paredes, um retrato meu feito por um fotógrafo americano que tirou essa fota da última vez  que estivemos aqui, ou seja, antes  da pandemia. Então, mais  uma razão para estarmos aqui porque desta forma nos podemos  aproveitar a estada aqui, no Birdland,  e inaugurarmos essa foto oficialmente

Você lançou "BOCA CHEIA DE FRUTAS" em maio deste ano.  De onde veio este nome?

Nós lançamos este novo álbum e é um disco que traz entre outras coisas, uma referência importante aos nossos ancestrais, ancestrais brasileiros, notadamente, os  afros brasileiros e os indígenas brasileiros que sempre estiveram por aqui. E nessa ancestralidade indígena há  um canto que  as criancas entoam na língua yanomami, eu digo, crianças da tribo Yanomami. Elas entoam um canto que têm os seguintes versos “waruku waruku waruku këëi moramakī waruku waruku waruku këëi” 

Esses versos com sua tradução significa: boca cheia, boca cheia de frutas, boca cheia, boca cheia, boca cheia. E, naturalmente,  como as crianças cantam são canções que herdaram  de seus ancestrais e esses cantos nos rementem  a uma fartura, a um momento da história do Brasil em que a terra brasileira era frutífera, fecunda e muito respeitada.

E, hoje, o que assistimos é que a terra continua nos oferecendo muita coisa, mas nós pouco oferecemos em troca. Então, neste disco também fala sobre isso. Diria que aproveitamos este título para abordar, também, sobre a diversidade  brasileira sendo como uma boca cheia de frutas. Pois cada região do Brasil possui a sua cultura, sua história, sua condição de vida e isso representa também uma fruta. Dessa forma,  é um disco que preserva essa importante consciência que o nosso  pais é muito grande e diverso e por isso mesmo, devido suas dimensões  e suas riquezas naturais, deve ser um país muito bem cuidado.

Porém, eu diria que o disco "Boca Cheia de Frutas" é um disco onde as pessoas que o ouvem  irão dar diferentes interpretações. E aí que mora a beleza do nosso  trabalho onde capacita as pessoas a pensarem em uma nação a sua maneira e como elas veem essa nação que retratamos nesse disco.

Como é chegar aos 77 anos cantando, tocando e se apresentado na capital do mundo? É para poucos, não?

É uma pergunta interessante! Várias pessoas me fazem esta mesma pergunta. Tenho 77 anos completos e acho que estar com a música e a maneira com que me relaciono com a música, isto é,  num misto de desejo de estar com a música e ao mesmo tempo de  fé em acreditar nela. E tudo isso, no fundo, nos rejuvenesce. É um  estímulo, uma ânima.

O palco é um  lugar que gosto de estar e me realiza junto com esses músicos que já estão comigo por décadas e são meus irmãos, são meus amigos próximos. Portanto, compartilhar a música com eles é sempre enriquecedor para a minha própria música. E, ao mesmo tempo,  alí estamos sempre reinventando e tudo isso traz uma alegria imensa internamente. E, talvez seja isso que faça com que sintamos essa energia que nos dá força para poder viajar e estar nos palcos mundo afora.

Lembrando, também, que este ano, além dos EUA, temos duas turnês  para fazer na Europa e isso tudo, enfim, é onde busco minha energia para  continuar fazendo o que mais amo que é a minha música.

Quatro anos sem ALDIR BLANC. Linda sua afirmação "NAO EXISTE JOÃO SEM ALDIR". como está sendo essa fase de sua vida sem ele? 

O Aldir é um amigo; foi uma amigo de 50 anos.  Eu o conheci em 1970 e ele faleceu em 2020. Então, foram 50 anos de uma relação e de uma amizade profunda. Uma parceria  que produziu uma série de canções que as pessoas no Brasil cantam e se identificam muito com elas. Quatro anos sem Aldir, de fato,  ele morreu dia 4 de maio de 2020 e agora, em maio passado, se completaram quatro anos de sua ausência.  Pelo disco "Boca Cheia de Frutas" podemos percerber que ele continua presente. 

Ele está  no "dinossauro da Candelária", está no "Gurufim". Tem  uma canção inédita da gente que ele deixou um texto e acabei musicando recentemente, isto é, antes  de entrar em estúdio. Então, é como se tívessemos feito uma canção agora. No fundo, acho que uma pessoa tão especial e uma amizade tão especial também, não é  algo que se extingue somente porque o Aldir não está mais aqui.

Pelo contrário, acho que Aldir está aqui mais do que nunca, está na memória, está  naquilo que ele deixou e naquilo que ele provocará, certamente em músicas futuras, porque suas palavras sempre estarão  ecoando em minhas memórias.

Outras músicas virão e de forma não tão explícita,  mas acredito que ele  estará presente. Não creio que o fato dele  materialmente não estar mais aqui conosco, não significa que ele não esteja andando com a gente.  Eu acredito piamente que ele está sempre ao nosso lado. Músicas virão futuramente confirmando isso que estou dizendo. Então, não existe uma fase sem Aldir, pois ele vai estar, de algumas maneira, sempre por aqui!

PACHĒ conta tudo sobre o lançamento da sua nova música “Little Love”

Gabriel Pacheco, mais conhecido como PACHĒ, é Produtor Musical, Curador, Dj e Relações Públicas. O artista tem assinatura em diversas playlists, presença há anos em casamentos, festas em geral, festivais, dentre outros. 

 Na próxima sexta-feira, dia 31 de maio, PACHĒ estará lançando a sua mais nova composição: “Little Love”, produzida com base em referências que ele possui de artistas europeus.

  Segundo ele, as inspirações são todas de música eletrônica, mas que também navegam muito por um contexto comercial e o nome “Little Love”, surgiu com base na própria letra que conversa com a “vibe” da música.  

  De acordo com PACHĒ, a música: “Little Love”, nasceu de um ideal dele de que o mundo precisa de amor, algo que ele vêm falando sempre... “Todo gesto de carinho e amor, por mais que seja simples e pequeno, o efeito é gigantesco e exponencial, mesmo que seja um sorriso que é dado para um desconhecido. Então, através da “Little Love”, o artista teve a ideia de tornar a música cativante, acolhedora e, ao mesmo tempo, alegre e positiva. O artista procura explorar o house music, que é um gênero da música eletrônica, e mesclar com o pop. “É desafiador juntar tudo isso numa única obra musical, mas chegar próximo ao objetivo, já me conforta e muito”, afirmou PACHĒ!

 Para o Dj, a  música “Little Love” atende a todos os públicos. Esta versão foi pensada para tocar tanto numa rádio, quanto no dia a dia das pessoas, em inúmeros e diferentes contextos e ocasiões e a música estará disponível no próximo dia 31 de maio em todas as plataformas digitais, incluindo Spotify e Deezer”. Quem quiser salvar a música na sua playlist basta entrar neste link: https://too.fm/pache-littlelove

Quanto aos novos projetos, “o artista afirmou que terão novos lançamentos ainda este ano ,e que uma das suas novas composições será lançada por uma gravadora espanhola”, declarou.

Redes sociais: 

Instagram: @gapachecobr  e @listentopache

Pre Save. Clique aqui: https://too.fm/pache-littlelove

Hotéis Quality e Comfort São Caetano são referências no atendimento acessível para pessoas com PcD e mobilidade reduzida

Hotéis Quality e Comfort São Caetano são referências no atendimento acessível para pessoas com PcD e mobilidade reduzida

 Regina Vianna com 29 anos de expertise no segmento hoteleiro, é gerente geral dos hotéis Quality e Comfort São Caetano do Sul. Bandeiras administradas pela Atlantica Hospitality International

 Tendo em vista a relevância do tema acessibilidade, que eu entrevistei, com exclusividade, a gerente geral dos hotéis Quality e Comfort, para saber dos investimentos das unidades neste sentido. 

Qual a importância da acessibilidade para pessoas com alguma deficiência ou mobilidade reduzida na hotelaria?

 R: Estamos empenhados no propósito da Atlântica que é “cuidar de cada um que confia na gente”, junto ao momento de transformação organizacional, propondo a equidade e a adição de valores nas relações com nossos hóspedes, colaboradores e investidores. Nós acreditamos que promovendo o respeito ao próximo e suas diferenças seremos capazes de proporcionar uma hospitalidade inclusiva, igualitária e diversa.

 Desde quando vocês oferecem hospedagem adaptada e quais são as perspectivas futuras?

 R: O Quality e Comfort Hotel São Caetano desde a sua inauguração em outubro de 2016, conta com apartamentos acessíveis em atendimento à Lei da Acessibilidade Nº 10.098 de 19/12/2000, e a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI), Nº 13.146, de 06/07/2015.

 - Como recebemos uma grande quantidade de hóspedes portadores de necessidades especiais, temos cada vez mais investido na estrutura e capacitação dos nossos colaboradores.

O que a acessibilidade proporciona ao hóspede PcD na rede Quality e Comfort?

 R: Proporcionam bem-estar, facilidades e conforto. Ambos os hotéis oferecem apartamentos adaptados para portadores de necessidades especiais e/ou mobilidade reduzida. No Quality essa acomodação possui 2 quartos conectantes – sendo um quarto com cama de casal e outro com duas camas de solteiro, e podem ser utilizados de forma conjugada ou independente. Além das acomodações PcD, há banheiros adaptados no lobby dos hotéis, há balcões rebaixados em ambas recepções e nas saídas de emergência, há recuo para cadeirantes. 

 - O lobby recebeu piso tátil para a acessibilidade dos deficientes visuais, e os elevadores possuem sinalização em braile nas botoeiras, assim como ao entrar ou sair da cabine dos elevadores. Os corrimãos das escadas de emergência possuem sinalização dos andares em braile, assim como sinalização de alerta no fim das escadarias. Cães guias são muito bem vindos.

Qual o diferencial do trabalho de vocês quando o assunto são as acomodações e atendimento em geral?

  R: A localização do Quality e Comfort Hotel é um grande diferencial. Os hotéis estão localizados em frente ao Park Shopping São Caetano, dentro do Espaço Cerâmica, um bairro planejado e sustentável em São Caetano do Sul/SP. O bairro foi projetado para a valorização do patrimônio histórico, com a reconstrução de equipamentos e painéis históricos, valorizando a história do local da cidade. O espaço conta com um projeto de acessibilidade que prioriza o pedestre, com conforto e segurança nas travessias construídas no mesmo nível da calçada.

 - O Quality Hotel São Caetano possui 118 apartamentos, com metragens variando entre 25 m² e 40 m², todos equipados com cama king size ou duas camas twin. A categoria Business Class oferece como exclusividade a Cama dos Sonhos, que é preparada com enxoval diferenciado, e oferece uma vista panorâmica da cidade. Já no Comfort Hotel, são 180 apartamentos, distribuídos em 15 andares, com metragens que variam entre 21 m² e 30 m². Todos os quartos também contam com cama queen size ou duas camas twin. Dentre os serviços, o hóspede encontra em ambos hotéis, internet wi-fi, café da manhã completo e serviço de quarto 24 horas. 

“Cuidar de cada um que confia na gente” é o nosso propósito. A Atlântica Hospitality International acredita em um futuro melhor para todos. Para isso, é necessário que as ações falem mais alto que as palavras. O Aja por um Mundo Melhor é reflexo disso, pois traduz nosso comprometimento em valorizar e cuidar das pessoas e do planeta. 

  Aja vem de agir:

+ Agir constantemente

+ Agir positivamente

+ Agir mais

 - O Programa Aja é composto por 3 pilares e frentes de atuação:  Aja pelo Planeta, Aja pelas Pessoas, e Aja pelos Nossos Valores. Nosso movimento está sempre evoluindo, pois é um processo. É coletivo. Cada um é uma peça do todo, e o todo é feito pelas atitudes de cada um. Portanto, cada gesto conta e faz muita diferença.

Atualmente vocês têm quantas acomodações adaptadas? 

 R: Em atendimento à legislação vigente, o Quality Hotel conta com 6 acomodações, enquanto que o Comfort Hotel conta com 9 acomodações.

Qual o número de pessoas com deficiência que se hospedam nas redes Quality e Comfort mensal e anualmente?

 R: No Comfort, em 2023 recebemos cerca de 9.000 hóspedes portadores de necessidades especiais, com média/mês de 500 a 600 hóspedes. Já no Quality recebemos neste ano em torno de 1.864 hóspedes.

Quais as redes sociais, site e contato para que as pessoas conheçam o trabalho de vocês?

R: Visite nossas páginas e entre em contato para maiores informações:

Comfort Hotel São Caetano

www.comfortsaocaetano.com.br

@comfortsaocaetano (Instagram)

11 2842-1710 – reservas.scs@ahi.com.br

Quality Hotel São Caetano

www.qualitysaocaetano.com.br

@qualitysaocaetano (Instagram)

11 2842-1720 – reservas.scs@ahi.com.br

WhatsApp: 11 98945-2769

Foto: divulgação

Soraia Hütten entrevista Barbie e Ken no podcast Socialmente

A jornalista e apresentadora Soraia Hütten recebeu os artistas da Pink Tour no Podcast Socialmente. A Barbie Gaúcha Letícia Swarovski e o maior colecionador de Ken do Brasil Bernardo Guedes foram entrevistados no otPlay TV empresa do grupo O Timoneiro localizado no espaço Território Coworking em Canoas.

Durante a entrevista os convidados falaram sobre o amor pela boneca Barbie, o universo do colecionismo, o lançamento do filme Barbie the Movie, e a participação deles em programas de televisão em rede nacional.

O Podcast Socialmente foi transmitido ao vivo com a interação dos internautas através de perguntas para a dupla. O programa na íntegra pode ser assistido no canal do YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=60FObRX3jFA

Siga nas redes sociais:
@estudiootplay
@otimoneiro
@soraia.hutten
@letiswarovski
@bernardoguedesoficial

#barbie #ken #colecionismo #pinktour #otimoneiro #soraiahutten #socialmente

Fotos: Crédito: Divulgação

Escritora impacta de maneira positiva outras mulheres ao relatar sua história de vida  

Escritora impacta de maneira positiva outras mulheres ao relatar sua história de vida  

Tendo em vista uma história de vida marcada pela superação de traumas, violência doméstica entre outros desafios, que entrevistei com exclusividade, a escritora Sirlene Proença. 

 Você vivenciou uma história de engano e violência. Como foi, de maneira resumida, passar por esses traumas?

 R: No início, claro, foi bem traumático pelo fato de eu nunca ter vivido uma situação como essa. Era recém-casada, tinha 20 anos de idade, evangélica, inexperiente sobre o assunto e nunca tinha presenciado violência doméstica ou psicológica na casa dos meus pais! Contudo, passei esses traumas e muitos outros, entendendo a diferença entre ser “religiosa” e “espiritual”. Aos poucos fui aprendendo o significado de um casamento saudável e a não aceitar menos que isso na minha vida. Aprendi a agradecer todos os dias por estar viva, embora muitas vezes, com lágrimas nos olhos! 

Curei os meus traumas pelo que passei sendo vítima de violência doméstica, me perdoando. (porque uma das maiores dificuldades depois de passar por violência doméstica é superar o sentimento de culpa). Só assim foi possível mudar a minha situação, me permitindo novas oportunidades para amar e ser amada e respeitada, mantendo sempre o desejo de que a minha experiência ajudasse muitas mulheres um dia a saírem dessa mesma situação que vivi!

 Quais as experiências obtidas na fase em que você viveu a imigração para os Estados Unidos?

 R: A experiência por ter entendido de uma maneira traumática que para qualquer país que decidamos emigrar, devemos não só saber as leis de imigração como as leis gerais daquele país!  Mesmo assim, aceitei as consequências dos meus erros, embora cometidos de uma maneira inocente, porque foi a melhor decisão que tomei na minha vida. Estados Unidos é um país maravilhoso, cheio de oportunidades. Valeu a pena!

  Quais conselhos você deixa para quem tem o sonho de ir morar no exterior? 

 R: Se instrua antes de irem para outros países, procurem saber sobre as leis daquele país, não só leis de imigração, mas leis em geral do país que você esteja interessado em morar. E claro, seguir! O resto é fácil! 

 Como você superou tudo isso?

 R: A partir da minha confiança em Deus! Entendi a diferença entre ser evangélica e espiritual. Tomei asco de ser vítima em várias situações. Li muito sobre o comportamento humano, me tornei “expert” em “ler as pessoas”. Entre muitas maneiras, busquei me superar para que eu pudesse passar de vítima a vencedora, foi o “exercício do espelho”.

- Depois de Jesus Cristo, o espelho é meu melhor amigo. O dia que você conseguir se olhar no espelho, ver suas falhas, fraquezas, traumas, erros, escolhas etc. e conseguir se amar, perdoar, sorrir para você mesma, você estará curada. Superar significa ser ou se tornar superior, ultrapassar! Curar significa recuperar a saúde, eliminar uma enfermidade. O espelho ajuda a identificar a doença, ajuda na cura e por fim, a superar! Você tem o poder de superação ou destruição própria. Eu escolhi superar!

Quais são os seus projetos para ajudar as mulheres com a sua visão empírica?

 R: Ministrar programas de mentoria, reunir outras mulheres com experiências em diferentes áreas para formamos uma equipe completa, onde poderemos ajudar as mulheres não só a sair de um relacionamento abusivo, como também  prepará-las para o mercado de trabalho, treinar os filhos para que não sigam o ciclo abusivo que estão acostumados, ensiná-las não só a cuidar da imagem, mas do coração, dando suporte com as terapias necessárias. 

 - Programas de educação. Muitas mulheres voltam para o abusador porque não tem uma profissão ou não conseguem administrar a casa e os filhos sozinha. Vamos procurar cursos profissionalizantes para que essas mulheres encontrem a liberdade financeira.

 - Uma mulher por inteiro vale ouro! A luz não deve brilhar só dentro dela, mas por onde ela passar!

Todas as suas experiências e história de vida estão no livro “A Escolha é Sua”. Como as pessoas podem fazer para adquiri-lo?

Você poderá adquirir o meu livro através do website: www.sirleneproenca.com.br

Lá, você terá acesso ao meu livro, e poderá fazer perguntas, dar depoimentos, compartilhar suas histórias etc. Visite!

 Quais as suas redes sociais?

 R: Instagram :@sirleneproencak @livroaescolhaesua

  Facebook: Sirlene Khan

Sobre:

  Sirlene Proença é mãe, esposa, empresária, palestrante e escritora. A empresária pode ser a voz de muitas mulheres, que relata, sem máscaras, sua trajetória de garotinha do interior do Paraná que catava algodão até a mulher poderosa, segura, e vitoriosa, morando atualmente, na Flórida, Estados Unidos. Ela conta a sua trajetória de vida, em sua biografia “A Escolha é Sua”, além de abordar temas como processo de aprendizado no universo feminino, relacionamentos, força feminina no mercado de trabalho, maternidade e carreira, equilíbrio trabalho-família, entre outros.

Memoria do Rádio Brasileiro : Paixão, Superação – Fica a Lição.

"Aqui é o Repórter Esso, testemunha ocular da história" Assim, citando o slogan do icônico programa de radiojornalismo, O Seu Repórter Esso, que abrilhantou as transmissões do rádio brasileiro de 10 de abril de 1952 a 31 de dezembro de 1970, o apresentador Rafa Zimbaldi começou o seu programa, Histórias em Conexão, numa edição dedicada à memória do rádio brasileiro, e que foi ao ar recentemente pela TV Século 21

Durante uma hora, o apresentador entrevistou o radialista veterano Walter Paradella, de Campinas SP, que falou sobre sua experiência de uma vida inteira dedicada ao rádio, contou histórias pitorescas e engraçadas e explicou porque só a mídia rádio é capaz de mexer tanto com a imaginação das pessoas.  

Assista a historia do DJ Prodígio e Luís Fernando : Paixão pelo Rádio e Superação de Desafios  

( https://youtu.be/QYZ1uXWvtUs?si=TY6a1SqcwQDh3l5v  ) 

O programa mostrou também a incrível história de Luís Fernando Cossolino, um deficiente visual apaixonado pela história do rádio e que tem em seu poder um acervo espetacular de arquivos históricos, coletado ao longo de mais de 25 anos como radialista. Luís Fernando sempre alimentou o sonho de poder trabalhar com a digitalização e restauração desse acervo, mas esbarrava sempre nas limitações técnicas impostas pela sua deficiência visual. Um dia, no ônibus, voltando de São Paulo, onde tinha ido mais uma vez em busca de uma tentativa de solução e mais uma vez tinha ouvido um "não" como resposta, conheceu "por acaso" o especialista em produção e edição musical, DJ Prodígio de Valinhos SP. Os dois acabaram fazendo amizade e o DJ Prodígio, sensibilizado com o dilema do Luís Fernando, prometeu buscar uma solução que pudesse realizar o sonho do novo amigo. No seu estúdio DJ Prodígio se colocou no lugar do Luís e, com a tela do computador desligada ou com os olhos fechados, utilizando apenas o teclado, acabou por criar um sistema com o qual Luís Fernando passou a não só digitalizar como também restaurar todo o seu acervo. Isso aconteceu em 2006 quando não existia a facilidade da tecnologia atual e hoje Luís Fernando trabalha com afinco, inclusive restaurando parte do acervo do MIS de Campinas, sem ganhar nada por isso, apenas movido por essa paixão pelo rádio. 

Durante o programa Histórias em Conexão, o radialista Walter Paradella, ao ver a história de Luís Fernando fez o seguinte comentário: "Duas coisas me chamaram a atenção. A paixão dele (Luís Fernando) pelo rádio, e o fato de duas pessoas, uma delas deficiente visual, não receberem nenhuma ajuda do poder público, nenhuma ajuda de quem poderia fazer alguma coisa por eles. Fica a lição". 

Walter Paradella  (Radialista) e Rafa Zimbaldi (Foto: Reprodução ​) 

Parabéns à TV Século 21 e parabéns ao programa Histórias em Conexão, muito bem conduzido pelo seu apresentador Rafa Zimbaldi, pela iniciativa de dar visibilidade a uma história dessas e à história do veterano radialista Walter Paradella. Isso demonstra o devido respeito que o Canal e o programa têm pela memória do rádio brasileiro. 

Equipe Produção Histórias em Conexão ( Tv. Seculo 21) ( Foto: Márcia Araújo)

Estilista se destaca ao fazer o seu próprio vestido para desfilar na Miss Santa Catarina

Estilista se destaca ao fazer o seu próprio vestido para desfilar na Miss Santa Catarina

Como foi a sua participação no Miss Brasil?

 R: Foi uma experiencia incrível! Estar ali desfilando com um vestido feito por mim me deixou imensamente realizada!

Em que categoria você ganhou?

 R:  Fiquei em terceiro lugar na categoria MRS

Como foi e qual a importância da participação do ateliê Juliana Pontes, no Miss?

 R: Sem dúvidas o Miss me abriu uma porta enorme para mostrar meu talento a todos vocês! Nesse evento, fiz o meu vestido de Gala, o da Rafaelly Braun, Vice Miss o da Vanessa Nilsen, que é Miss Brasil WW e da Thalia Prust, que foi primeiro lugar como Princesa Brasil. “E é uma emoção muito grande ver minhas criações desfilando no Miss Santa Catarina”!!

Qual a sua avaliação de todo o trabalho que foi feito pela franquia do Miss?

 R: Fiz tudo com muito amor e me entreguei de corpo e alma!!! Sei que não são apenas vestidos são sonhos!!

Como foi a sua preparação para a miss no dia anterior ao evento?

 R: Não teve! Rsrsrs. Trabalhei até o último momento para deixar todos os looks incríveis para vocês!!

Quais as suas perspectivas para o futuro?

 R: Hoje compreendo exatamente o que eu quero, e já defini muito bem tudo que eu preciso alcançar. Para isso Vou trabalhar constantemente com muito foco e dedicação!!

Quais os principais conselhos que você dá para quem deseja concorrer ao Miss?

 R: Não se limite, não duvide de você e do que você é capaz de fazer, eu sem dúvidas não sou mais a mesma Juliana, o Miss me moldou, me preparou para eu viver esse momento lindo e compartilhar isso com vocês! Ser miss é muito mais que ter um rosto e um corpo bonito, ser miss é inspirar as pessoas a acreditar nelas mesmas!!

Qual a foi a sua inspiração para fazer seu vestido para o Miss SC?

R:  Me inspirei em Santa Catarina e nas suas belezas naturais!!!! Usei muitas flores e deixei como destaque principal, no meu vestido!!!

 -A flor para mim simboliza beleza, perfeição, amor, a glória, a alegria, e também a entrega a Deus, a evolução espiritual e a própria alma!! A flor é também um símbolo feminino, ligado ao elemento água, ao planeta Lua e, consequentemente, à criação, à fertilidade e ao nascimento.

Qual foi a sua inspiração para criar o vestido da vice miss Rafaelly braun?

 R:  No vestido da Rafaelly eu usei uma cor especial que acendia o tom da pele dela, o azul cobalto!! Misturei com detalhes no prata que deu um charme incrível ao vestido!! Me entreguei de coração nesse modelo e fiz muito mais do que eu imaginava. Rafaelly pediu um vestido de princesa e eu entreguei uma joia em forma de vestido!!!

 - O vestido de Rafaelly foi feito com acabamentos de alta costura e uma saia em ferro leve e confortável, criada por mim que dava impressão dela estar flutuando enquanto andava!!! Usei minha identidade que são as flores em 3D, fiz 400 flores e coloquei em toda calda do vestido da Rafaelly!! Me lembro quando ela viu o vestido e se emocionou foi um sonho para mim, ver o sonho dela se realizar.

Considerações finais?

 R:  Eu quero agradecer primeiramente a Deus, sem “Ele” nada disso seria possível, a minha família aos meus amigos, e em especial ao meu marido Junior wachsman, por me apoiar, por me assessorar e por viver esse sonho comigo!!

Fotografia @danielzattafilms

Fotografia @rodrigo.moska

Produção @marlonpallazo @digital_brandmkt

Sobre:

   Juliana Pontes éestilista,com formação em moda, é formada em moda, empresária, é Miss Balneário Camboriú MRS 2024, fez faculdade de designer de moda pela UNIC de Cuiabá - Mato Grosso, fez curso de costura avançada no SENAI, curso de noivas com Samuel Cirnansck, foi finalista do reality show “Brasil Fashion designers”, e atualmente, faz especialização em alta costura, no Instituto di Moda Burgo Brasil.

Redes sociais: @minnidres e @julianapontesatelie ou faça contato pelo nosso WhatsApp: (47) 98816-4529.

Produção: Marlon Pallazo e Diego Brandão

Fotos: Rodrigo Moska

JChris: Um artista latino em ascensão

O cantor, compositor, pianista e produtor JChris está de volta ao Brasil! Ele desembarcou recentemente em terras brasileiras para rever familiares e amigos, além de planejar os próximos passos para seu novo álbum. 

Seu último trabalho no país foi em 2021 com o lançamento do videoclipe oficial "Caliente", rodado no Rio de Janeiro e contando com a participação de Naldo Benny e do DJ e produtor brasileiro Rick Joe. 

JChris também foi convidado para um jantar entre amigas pela correspondente internacional Uiara Zagolin. Aproveitando a oportunidade, ele atualizou as convidadas sobre sua carreira internacional. A jornalista Maria Emilia Genovesi, com seu olhar jornalístico, não perdeu tempo e já indagou sobre seus projetos no Brasil. Também estiveram presentes a veterana no jornalismo de celebridades Tânia Voss e a jornalista e especialista em vinhos Daniela Cardoso. 

O cantor pop latino JChris é americano de Maryland e fala fluentemente português por causa de sua mãe brasileira e espanhol devido à nacionalidade peruana de seu pai. Ele usa essa habilidade linguística para compor canções com influências latinas, afro e brasileiras em três idiomas perfeitamente. A imprensa internacional elogia sua emocionante energia de performance e voz suave. A revista Metro Weekly o aclama como "...a próxima grande novidade". 

JChris estudou composição na Eastman School of Music, o que o tornou altamente ativo como cantor e compositor. Ele lançou álbuns indie pop sob o nome artístico de Chris Urquiaga, com o objetivo de aprofundar sua conexão e expressar sua identidade brasileira, peruana, o que o levou a um novo rumo. Em 2020, Chris rebatizou-se como um artista latino urbano sob o nome artístico de JChris. 

Em 2023, Chris tornou-se membro votante do Grammy da The Recording Academy. Nesse mesmo ano, ele se apresentou em dois especiais televisionados da PBS: o 2023 Hispanic Heritage Awards com Omar Apollo e Tito Puente, Jr. e o concerto especial de TV How Great Thou Art com Kristen Chenoweth e Sandi Patty. Chris estampou a capa da revista Notícias NY, onde sua música foi chamada de "explosiva"... e um "hino de libertação para a comunidade queer hispânica". Sua música foi tocada no Museu Nacional da Colômbia em Bogotá. Chris se apresentou para Carlos Vives no JUNTOS Gala do Arsht Latin America Center em outubro de 2023. 

Como artista gay latino, Chris teve a honra de apresentar seu próprio show como atração principal no Feinstein's/54 Below em Nova York, intitulado Latin Music Night, com artistas convidados da Broadway e da televisão. Agora radicado na cidade de Nova York, Chris se apaixonou pela cidade. Em outubro de 2021, ele fez sua estreia off-Broadway apresentando sua música original no Triad Theatre para uma peça intitulada "Dig Deep". 

A música coral acompanhou Chris durante a maior parte de sua vida, dando-lhe experiência como maestro, compositor, acompanhante, vocalista convidado e clínico. Em 2022, Chris se tornou diretor assistente do Grace Chorale do Brooklyn, trabalhando com seu colega e diretor artístico, Jason Asbury. Através do Grace Chorale do Brooklyn, Chris se apresentou e dirigiu como assistente um show no Carnegie Hall. O Grace Chorale do Brooklyn contratou JChris para compor uma peça para coro e orquestra, com estreia em abril de 2024 em Nova York. 

A educação musical é algo que Chris valoriza profundamente, pois mudou sua vida para melhor. Em Nova York, Chris é professor de música na prestigiada Saint Ann's School, no Brooklyn, ensinando The Songwriter's Toolbox, The Science of Music, Chorus, Voice and Piano para alunos do ensino fundamental e médio. Em 2022, Chris foi professor e curador do programa de cantores e compositores do Arts Conservatory For Teens em São Petersburgo, Flórida. Chris expandiu seu alcance ministrando workshops com temática latina para jovens, incluindo La Música: A World Of Encanto, que teve uma série de residências de verão em Tysons Corner em 2023. Com a turnê de JChris, ele também oferece oficinas de educação musical e discussões para jovens e adultos em torno da identidade latina. 

JChris se apresentou para públicos com ingressos esgotados com sua música original, bem como seus shows de tributo com temática latina, como Shakira Cabaret, Latin Divas, Noche De Orgullo e Batalla De Las Bandas. Ele produziu e publicou músicas com os aclamados artistas Nitty Scott de Nova York, LoMaasBello (La Llave) de Buenaventura, Colômbia. 

Juliana Pontes lança sua nova coleção de vestidos de festa e fala dos seus planos para o futuro

Juliana Pontes lança sua nova coleção de vestidos de festa e fala dos seus planos para o futuro

  A minha entrevistada desta semana é a estilista, empresária e modelo, Juliana Pontes. Na oportunidade, ela discorre amplamente, sobre sua história de iniciação na alta costura, carreira e do lançamento da sua nova coleção de vestidos de festa.

Juliana Pontes lança sua nova coleção de vestidos de festa e fala dos seus planos para o futuro

Como e quando surgiu o ateliê Juliana Pontes?

 R: Cresci olhando minha avó, Maria, customizar peças com bordados e minha avó, Carlinda, costurar vários tipos de roupas!! Essa influência foi muito forte para mim. Ainda bem pequena adquiri uma habilidade, comecei a desenhar nas minhas roupas, estampas criativas, com tinta de tecido acrilex, pois a minha personalidade desde criança sempre foi criar peças exclusivas e autênticas. Logo depois, desenhei para mim o meu primeiro vestido de festa, para a minha festa de formatura, e foi um sucesso. Depois disso nunca mais parei. Decidi cursar designer de moda para me aprimorar já no primeiro ano de faculdade.

    Em 2012, enquanto tinha apenas 20 anos, participei do Reality show Brasil Fashion Designers.  Desenhei a minha primeira coleção de moda e promovi o meu primeiro desfile. “Me classificando entre os finalistas, o que me inspirou muito, para os próximos passos. Naquele momento, vi que era aquilo que eu queria fazer para sempre e, depois deste concurso, decidi me aperfeiçoar com mais cursos, relacionados a costura e alta costura”. Lembro que nesse processo ganhei a minha primeira máquina da minha avó Carlinda e fiz o meu primeiro vestido feito sob medida, era um vestido de madrinha para a minha amiga Fernanda Pailo! Foi um sucesso e esse Vestido eu guardo com muito carinho até hoje, como prova da minha dedicação.

  Em pouco tempo, comecei a costurar e conquistar diferentes tipos de clientes, daí inaugurei meu primeiro espaço com sala ampla, no qual eu podia criar e costurar sob medida modelos de festa, casual, adultos e infantis. Além, é claro, de fazer customizações entre bordados e rendas delicadas.

Quando e onde será o lançamento da sua nova coleção?

 R: O lançamento será em março, no ateliê de confecção, em Guaramirim – Santa Catarina - SC

Você atende muito o público infantil, adolescente e adultos do Miss Brasil. Como se dá este trabalho?

 R: Faço muitos vestidos infantis todos os anos para o Miss Brasil! Um detalhe, sabe de uma coisa? É incrível fazer esse trabalho, vibro junto com elas desde o croqui e em cada prova! É lindo ver elas provando os seus vestidos de princesa, e tem umas que até se emocionam quando se veem nos meus vestidos! É um trabalho para mim muito especial, já que me dedico muito.

   Agora uma novidade, usarei um vestido da minha coleção Miss Gala, feito por mim no Miss Santa Catarina! Uma peça exclusiva e artesanal que logo estará disponível para aluguel no meu ateliê.

Além da miss a sua coleção atende a outros públicos?

 R: Sim, hoje, atendemos também muitas noivas que sonham em fazer um vestido exclusivo! Desde madrinhas, convidadas, debutantes e lojistas que querem vender a marca “Juliana Pontes ateliê” em suas lojas de festa!

Quais as novidades que o público em geral pode esperar da sua nova coleção?

 R: Um atendimento diferenciado, peças únicas, modernas e artesanais!!!

Você aluga, vende e tem o atacado. As entregas são para todo o Brasil? Como funciona o atendimento para quem está em outros estados?

 R:  Sim! Hoje nós Alugamos, vendemos e fazemos o atacado para lojistas de todo o Brasil, tanto coleção infantil como adulto, com lindos vestidos, com peças exclusivas, para venderem em suas lojas!!! O atendimento é personalizado e feito dentre outras formas, pelo WhatsApp ou na nossa loja física! Enviamos para todo o Brasil. O envio é rápido e seguro.

Como é a confecção das peças e como as pessoas podem fazer para entrar em contato e solicitar um orçamento?

 R: Todo o processo criativo das peças é feito por mim, o que vai desde o croqui até a peça final. Peço, sempre, um prazo de 30 a 60 dias para o processo confecção de cada peça exclusiva, podendo se estender ou não dependendo da peça e do tipo de bordado! O orçamento pode ser feito pelas nossas redes sociais: @minnidres e @julianapontesatelie  ou pelo nosso WhatsApp: (47) 98816-4529.

Sobre:

   Juliana Pontes éestilista,com formação em moda, é formada em moda, empresária, é Miss Balneário Camboriú MRS 2024, fez faculdade de designer de moda pela UNIC de Cuiabá - Mato Grosso, fez curso de costura avançada no SENAI, curso de noivas com Samuel Cirnansck, foi finalista do reality show “Brasil Fashion designers”, e atualmente, faz especialização em alta costura, no Instituto di Moda Burgo Brasil.

Fotos: Sabrina Vicente

Geraldo Rufino fala sobre a sua história de vida e superação em entrevista exclusiva

Geraldo Rufino fala sobre a sua história de vida e superação em entrevista exclusiva

  Em um bate-papo bem descontraído, o empresário discorreu amplamente, sobre sua história de vida, superações e o racismo.

Geraldo Rufino fala sobre a sua história de vida e superação em entrevista exclusiva
Geraldo Rufino

Como foi a sua infância?

 R: "Minha infância foi muito marcante, posso lembrar da fase em que eu tinha 2, 3 anos de idade! Pensa em um cara feliz! Tive uma mãe sensacional, uma família espetacular, meu brinquedo era um carrinho de boi puxado por rato, eu adorava a minha vida, e continuo adorando, minha infância não passou, pois me vejo com a mesma mentalidade dos meus sete anos. Portanto tive uma infância sensacional que dura sessenta e cinco anos! Rsrs".

Quais foram os seus maiores desafios?

 R: Para mim todos os dias temos um novo desafio, seja menor ou maior, são desafios diários. Não acredito em tempos difíceis e nem em problemas maiores que o ser humano, na minha visão quem cria o problema é o ser humano. Logo, penso que não existe um desafio tão extraordinário que supere o criador do desafio que é a própria pessoa.

O que você sente quando o assunto é a sua mãe?

 R: Ah, eu me sinto no colo, protegido, guiado, direcionado, eternizado do lado de uma pessoa que me ama e que é imortal, com certeza serei protegido assim a vida inteira! Toda vez que falo da minha mãe me sinto um ser privilegiado!

Como é para você ter se tornado um empresário de sucesso após ter sido catador de latinhas?

 R: Para mim, ser empresário ou catador de latinhas é algo muito relativo, eu costumo dizer que se for por uma questão material a referência que eu tenho entre catar latinhas e ter uma empresa grande de reciclagem, se bem que uma coisa não está diretamente ligada a outra, já que quando eu catava latinha era uma outra fase, a empresa de reciclagem aconteceu lá na frente por um acidente de percurso, então na realidade se eu for fazer uma comparação o meu sentimento é que mudou o tamanho da lata!

Qual ou quais as dicas que você dá para quem se encontra perdido e sem saber o que fazer profissionalmente?

 R: Seja lá qual for o problema que você tenha ele é menor que você, eu acho que o grande resolvedor de problemas é você, portanto, se você olhar pra dentro de si irá achar solução, vai achar caixinhas que têm armazenadas informações, conhecimentos, bagagens, experiências, mas acima de tudo, se você tiver despertado ali o seu senso de humildade, você vai ver que qualquer que seja a sua situação é menos complicada que a situação de muita gente do planeta, então se você acha que a pessoa está perdida, olha para dentro e vê que a sua situação não é tão complicada assim. Daí a hora que você entende e põe em exercício que você é um ser especial, que tem potencial, que tem ferramentas mental e espiritualmente para resolver o seu problema, você sai sozinho dessa fase. Não espere que alguém faça, olhe para dentro de si e use as ferramentas que você tem e vai para a próxima fase, para quem está perdido a melhor maneira de se encontrar é olhar para si mesmo.

O que você pensa sobre o racismo? Qual ou quais são as soluções para a erradicação desse mal?

 R: Racismo, preconceito, intolerância, discriminação, isso não tem como erradicar, isso é uma fraqueza humana, enquanto existir o ser humano vai haver alguém se sentindo maior e alguém, infelizmente, se achando menor. No meu ponto de vista, você só vai se sentir discriminado quando você se sentir fraco, porque na realidade quem está praticando o ato de preconceito que é fraco, ele está fazendo isso para se sobrepor ao outro, não existe maior ou menor, somos semelhantes. É fundamental que você não se deixe abalar emocionalmente por isso, existe leis, normas. A questão é que nos bastidores algumas pessoas são cruéis e neste contexto a pessoa precisa estar emocionalmente pronta para lidar com a fraqueza de quem a ataca, e pronto para ajudar a fraqueza de quem aceita que está fraco. Eu não tenho a fraqueza de aceitar e não tenho a prepotência de atacar, então para mim racismo, discriminação e preconceito não funciona, não me atinge. Na minha concepção toda vez que você fortalecer o ser humano emocionalmente, ele vai estar preparado para lidar com isso, já que a meu ver, isso vai acontecer a vida inteira, uma vez que você não tem como controlar o que existe dentro do outro, o que o outro pensa, você tem como lidar com isso sem sofrer, é o que eu faço, eu tiro de letra, não potencializo os fracos que atacam e ajudo os frágeis que se sentem menores com isso, procuro ajudar as pessoas a se sentirem fortes, nunca menores.

Quais as suas páginas para quem deseja conhecer mais sobre os seus trabalhos?

Instagram: @geraldoarufino Youtube:  @geraldorufino

Considerações finais?

 R: Toda vez que eu bato um papo, que eu quero passar para as pessoas, eu digo, sou um brasileiro, um ser humano voltado a fazer com que os outros percebam que a vida é bela, que somos privilegiados, que nós somos mau agradecidos, que nós precisamos agradecer mais, reforçar a espiritualidade, a esperança, o relacionamento, voltar para a base que é a família, melhorar as conexões, olhar para dentro quando você achar que está faltando alguma coisa e se encontrar consigo mesmo, subir um degrau, levantar a cabeça, se motivar a partir do privilégio de mais um dia, esticar a mão e trazer mais alguém de modo a fazer com que tenhamos um mundo mais humanizado a partir de nossas atitudes, se cada um de nós começar a se transformar e se inovar com certeza nós vamos utilizar melhor a máquina, a inovação tecnológica, para servir, fortalecer, para atender  as pessoas, para sermos mais mãe, mais protetora, mais guia, mais cuidador do outro ser humano. Aliás, eu quero que as mulheres entendam isso, pois penso que, as mulheres são os mensageiros desse novo normal, a mulher tem sensibilidade, grandeza humana, a mulher é criadora, nós somos criaturas, elas possuem uma capacidade gigante para nos ensinar a reencontrar o caminho da humanização, da família, da base, dos valores, da espiritualidade, do “Deus” que está dentro de cada um de nós, espero que as pessoas olhem para dentro e se tornem um ser humano melhor.

Sobre:

  Geraldo Rufino iniciou sua vida profissional trabalhando como catador de lixo reciclável e, depois de montar diversos negócios e quebrar algumas vezes, voltou às origens e fundou a primeira e maior empresa de reciclagem de peças de caminhões do Brasil e da América Latina, a JR Diesel. Atua como palestrante pelo Brasil e é autor do livro O catador de sonhos, também publicado pela Editora Gente.